Wiki Castlevania
Advertisement

Drácula Vlad Ţepeş (ドラキュラ・ヴラド・ツェペシュ, Dorakyura Vurado Tsepeshu), anteriormente conhecido como Mathias Cronqvist (マティアス・クロンクビスト, Matiasu Kuronkubisuto) em sua vida mortal e como o protagonista Soma Cruz em sua reencarnação, é o principal antagonista da série Castlevania, bem como o chefe final da maioria dos jogos. Ele é vagamente baseado no personagem homônimo do romance de 1897 de Bram Stoker, Drácula, bem como na figura histórica, Vlad III Drăculea.

Originalmente um humano chamado Mathias Cronqvist, Drácula caiu na loucura após a morte de sua primeira esposa e se tornou um vampiro imortal graças aos poderes da Pedra Carmesim. Com seus poderes sombrios, ele construiu um exército de criaturas e sua fortaleza, Castlevania. Desde o século 11, o Clã Belmont se opôs ao Drácula e guerreiros lendários o confrontaram cada vez que ele voltava dos mortos. Ele acabou sendo destruído definitivamente em 1999 pelo último descendente dos Belmonts.

Personalidade[]

Mostrou um grande cinismo em relação a raça humana, um complexo de superioridade achando que cada criatura é inferior a ele. Ao enfrentar seu filho, Alucard, aflorou um lado mais suave, através de um amor claro, e também expressa seu eterno amor pela mãe de Alucard.

Após sua morte em 1797, torna-se muito mais desprovido de muitas emoções, embora o complexo de hostilidade e superioridade ainda permaneça. Alguns de seus traços mais consistentes são a sua crueldade e indiferença profundas para toda a destruição que ele traz consigo, sentindo um pouco de prazer no sofrimento que inflige aos outros. Ele também justifica suas ações alegando que não é pelo seu poder que ele ressuscita, mas através da maldade dos humanos que faz o seu retorno possível, chegando a questionar se ele é verdadeiramente maligno por causa disso.

Nunca é realmente visto abusando de seus serviçais de nenhuma maneira. Na verdade, ele dirige a qualquer um dos seus subordinados de forma respeitosa e educada sempre que se envolve em qualquer conversa, e até mesmo faz o mesmo com seus inimigos. Ele também é mostrado ser bastante agradecido, pois muitas vezes abençoa e recompensa aqueles que o servem ou ajudaram na sua ressurreição, mesmo que indiretamente.

Durante sua derrota em 1797, sente-se pela primeira vez arrependido de suas ações depois de conhecer o desejo de Lisa para ele, embora, durante os seus reavivamentos subsequentes, ele não pareça sentir nada disso. Uma possível razão para isso pode ser que o mal da humanidade assegura que permaneça constantemente maligno e como tal encarnação da malícia.

Aparencia[]

DracSymph

Sua representação mais popular é quando Ayami Kojima tornou-se o ilustrador regular da série. apresanta um ar nobre com roupas luxuosas, como visto em Castlevania: Sinfonia da Noite, Castlevania: Harmonia da Dissonância e Castlevania: Curse of Darkness. Porém as aparências de foram muito inconsistentes ao longo dos anos. Às vezes ele é um homem velho, outras vezes ele é jovem (Castlevania: The X Chronicles, Castlevania: Portrait of Ruin); às vezes ele é fantasmagórico, outras vezes ele parece bastante regular, mas ele sempre mantém traços arquetípicos vampíricos. foi retratado de várias maneiras diferentes ao longo da série. Sua aparência muda em quase todos os jogos em que ele está. Nos primeiros títulos, tem uma aparência bastante etérea, apresentando-se como um homem muito decadente e envelhecido com uma capa vermelha longa. Esta visão foi aprofundada ainda mais em Vampire Killer, onde seus ossos estão expostos. Em Castlevania II: Simon's Quest, ele se parece muito com a morte. Ele está envolto em um manto preto e seu rosto é composto por um crânio. As representações do jogo de são muito diferentes da sua aparência na arte oficial para esses jogos, que o exibem como uma versão mais atroz do estereótipo de vampiro Béla Lugosi com o penteado com bico de viúva. Ele reflete essa imagem em jogos como Haunted Castle e Akumajō (X68000), em que ele usa um terno com uma capa. Como humano, era Mathias Cronqvist, um jovem de cabelos compridos e olhos azuis claros.

História[]

1094: Lament of Innocence[]

O homem mais tarde conhecido como Drácula nasceu originalmente Mathias Cronqvist. Em algum momento durante a metade ao final do século 11, ele serviu em uma companhia dos cavaleiros ao lado do então Barão Leon Belmont. Com as estratégias militares brilhantes de Mathias e a habilidade de Leon com a espada, sua companhia era imparável. Pouco se sabe sobre os primeiros anos de vida de Mathias ou sua família, exceto que eles parecem ter sido praticantes de longa data da Alquimia e avançaram mais no estudo do que a maioria dos alquimistas jamais poderia ter sonhado. Mathias era muito bem educado e habilidoso na arte, embora nunca tenha contado a Leon ou a qualquer outro de seus compatriotas de seus conhecimentos, com a notável exceção de Rinaldo Gandolfi, que o conheceu em época indeterminada. Mathias se casou com uma mulher chamada Elisabetha por quem ele estava profundamente apaixonado. Enquanto estava fora em uma campanha contra os pagãos no leste, Elisabetha morreu devido a uma doença. Ao retornar e saber de sua morte, Mathias foi tomado por um desespero tão profundo que ficou acamado, provavelmente preocupando Leon consideravelmente, já que Mathias era o estrategista e estrategista da empresa. Durante esse tempo, Mathias ficou com raiva de Deus por permitir que Elisabetha morresse tão cedo enquanto ele estava arriscando a vida e lutando em nome de Deus. Ele achava injusto Deus tirar o que era mais importante para ele, quando ele havia dado tanto a Deus e Elisabetha era uma mulher tão pura e irrepreensível que não merecia morrer. Mathias começou a procurar maneiras de se tornar imortal e mostrar a Deus que não tinha uma palavra final em tudo e que poderia desafiar os decretos de Deus existindo fora deles e desprezando a Deus em sua vida eterna. Ele aprendeu sobre a Pedra Carmesim, considerada um tesouro entre os vampiros. Por alguns meios, a pedra veio para a posse de Mathias e ele planejava usá-la para ascender à imortalidade.

Através de sua aquisição da relíquia arcana, uma divindade maligna conhecida como Morte se amarrou em servidão a Mathias, já que a Morte só seguiria aquele que controlasse a Pedra Carmesim. Com a pedra, Mathias poderia não apenas controlar a poderosa criatura espiritual, mas também absorver as almas dos vampiros mortos e adicionar seus poderes aos dele. Como efeito disso, a humanidade estaria perdida e ele se tornaria um vampiro. O jovem cavaleiro tinha então todos os recursos de que precisava para planejar seu plano para se tornar um imortal. Mathias eventualmente entrou em contato com um poderoso Lorde Vampiro chamado Walter Bernhard, que de alguma forma obteve a Pedra Ébano, outro tesouro vampírico que trancou seu reino e castelo na Floresta da Noite Eterna, tornando-o assim o vampiro mais poderoso. A única coisa de valor que Walter desejava era a Pedra Carmesim, que se acreditava estar perdida há séculos, mas estava secretamente nas mãos de Mathias.

O vampiro estava entediado devido à sua própria imortalidade e para se distrair disso, ele gostava de jogar alguns jogos de vida ou morte com bravos guerreiros humanos. Para aumentar as apostas do jogo (para tornar o humano mais interessado) ele roubaria o que é mais precioso de seu alvo. Mathias sugeriu apontar Sara Trantoul para Walter, a noiva de Leon Belmont. O cavaleiro seria um jogador interessante no jogo de Walter, porque, de acordo com as histórias de Mathias, sua habilidade em combate era incomparável. Walter, que não percebeu que estava sendo enganado, ordenou que suas forças invadissem o domínio de Leon para capturar Sara.

Tudo correu de acordo com o plano engenhoso de Mathias; Leon foi ao Castelo de Walter para salvar Sara e devido a uma série de eventos planejados, foi capaz de derrotar Walter. Quando Walter estava morrendo, a Morte apareceu e levou sua alma e concedeu o poder do vampiro a Mathias, que se materializou no castelo. Só nos momentos finais Walter percebeu o que estava acontecendo e quais eram as verdadeiras intenções de Mathias. Devido a absorver a alma de Walter, Mathias se tornou o vampiro mais poderoso, embora a Pedra Ébano o iludisse, pois foi destruída na batalha de Leon e Walter.

Mathias então declarou que nunca havia passado uma noite melhor e agradeceu a Leon. Um Leon confuso exigiu uma explicação, ao que Mathias respondeu que ele precisava da alma de um vampiro poderoso e ele sabia que Leon tinha nele o poder de destruir Walter para que ele pudesse levar a sua alma. Leon sentiu uma raiva do Vampire Killer, que ele usou para matar Walter e perguntou incrédulo se seu melhor amigo havia abandonado a humanidade. Mathias confirmou isso e revelou seu motivo. Ele admitiu que todos os envolvidos na provação eram apenas peões em seu plano para se tornar o vampiro mais poderoso e amaldiçoar a Deus para sempre por causa da crueldade de Deus. Mathias então ofereceu a Leon a vida eterna enquanto ele também sofria com a morte de sua amada. Leon recusou, porque a eternidade sem aquele que ele ama seria vazia e o plano distorcido de Mathias custou a vida de Sara. Mathias acreditava que Leon, entre todas as pessoas, seria o único a entendê-lo, mas quando não foi o caso, ele se tornou um morcego e voou para longe e os dois nunca mais se encontrariam, ordenando também que Morte se livre de Leon.

Mathias se escondeu em terras estrangeiras e continuou a amaldiçoar a Deus. Eventualmente, ele se nomeou Senhor dos Vampiros e Rei da Noite.

1094-1476[]

Em algum momento durante a vida profana de Mathias, ele construiu um castelo mágico na província da Valáquia, onde recrutaria humanos e outros seres que haviam virado as costas para Deus ou eram evitados pela luz. Mathias concedeu a alguns desses humanos o conhecimento proibido da Forja Demoníaca e permitiu que praticassem seus rituais em seu castelo.

Um dia, ele conheceu uma mulher gentil chamada Lisa (que trabalhava de curandeira), com quem ele acabaria se envolvendo romanticamente. Ela lembrava muito a Elisabetha, e essa era principalmente a razão pela qual ele se apaixonou por ela. Lisa amava muito Mathias, apesar de suas opiniões sobre a vida, e eles eventualmente teriam um filho chamado Adrian Fahrenheit Ţepeş (que mais tarde seria conhecido como Alucard).

Eventualmente, começaram a se espalhar boatos de que as práticas medicinais de Lisa eram uma forma de bruxaria. Isso fez com que ela fosse presa e condenada à morte pelas autoridades religiosas. Lisa foi capturada e crucificada, um evento que Adrian testemunhou, mas foi impedido de intervir. Como a execução teria ocorrido tradicionalmente durante o dia, Mathias só se daria conta disso horas depois e, quando soube disso, isso o emocionou no limite. Eventualmente, ele mudou seu nome para Drácula Vlad Ţepeş e planejou sua vingança contra a humanidade por levar impiedosamente o que era mais importante para ele.

1476: Castlevania III: Dracula's Curse[]

Drácula, irritado com a humanidade pela perda de Lisa, enviou suas legiões contra o povo da Europa. A igreja enviou muitos exércitos em oposição, mas nenhum voltou.

Depois de vários meses, as forças de Drácula quase acabaram com os exércitos enviados pela Igreja Ortodoxa Oriental e conquistaram países inteiros. Uma noite, Isaac, um general do exército de Drácula, relatou que o Clã Belmont havia iniciado uma ofensa no oeste. Um caçador de vampiros, descendente do velho amigo do Drácula, Leon, que atendia pelo nome de Trevor Belmont, planejava atacar o Castelo de Drácula. Porque Drácula foi responsável pela morte da noiva de Leon, Sara, Leon comprometeu os seus descendentes a caçar e destruir Drácula. Isaac aproveitou essa oportunidade e pediu para enfrentar o próprio Trevor. Em vez disso, ele foi enviado para encontrar Hector, outro general que havia recebido ordens de assassinar o Belmont, mas havia desertado. Drácula planejou encontrar-se com o descendente de seu velho amigo e esperou pelo caçador em sua sala do trono.

Drácula finalmente enfrentou o caçador de vampiros junto com o rebelde pirata, Grant Danasty (que havia sido anteriormente transformado em um demônio pelas forças do Drácula), a bruxa Sypha Belnades e seu próprio filho, Alucard, que optou por se opor ao pai. Com muito esforço, o Senhor Vampiro foi finalmente morto. Pela primeira vez em centenas de anos, o imortal Drácula estava finalmente morto, embora seu plano para dizimar a humanidade não tivesse terminado. Com seu último suspiro, ele proferiu uma maldição que deixou a terra apodrecendo enquanto envenenava as mentes de seus habitantes, que a saqueavam e açoitavam sem remorso.

1479: Curse of Darkness[]

Poucos anos depois, em 1479, a Morte tentou ressuscitar Drácula usando o traidor General Hector um Devil Forgemaster do Conde como um novo corpo para Drácula. Como os Devil Forgemasters estavam imersos na magia do Drácula, somente eles poderiam ser hospedeiros adequados para o Conde habitar. No entanto, eles teriam que ser totalmente envolvidos pela maldição que o Drácula deixou para trás e que assolava a terra e seu povo. Embora Hector fosse a escolha ideal da Morte (que se disfarçou de Zead) de um corpo para o despertar do Drácula, ele rejeitou a Maldição, fazendo com que a Morte se comprometesse e usasse Isaac como hospedeiro. Isaac foi morto a sangue frio por Heitor e a Morte usou o cadáver para ressuscitar o Conde, causando o primeiro despertar do Drácula dos mortos. Drácula pretendia executar Hector por abandoná-lo antes, especialmente depois de saber que Hector o fez devido ao desgosto pelos objetivos genocidas de Drácula contra a humanidade. No entanto, como a ressurreição foi apenas parcialmente bem-sucedida, Hector foi capaz de frustrar a Morte e o Drácula e enviar o Conde de volta à sepultura, bem como anular sua maldição, finalmente libertando a terra de suas garras venenosas.

1576-1591: A Lenda de Drácula[]

Um século depois, Drácula ressuscitou. Foi nessa época que o ciclo de regeneração de cem anos do Drácula se tornou manifesto. Devido ao poder de Cristo que se enfraquece a cada cem anos, os corações dos homens escurecem com o caos. Eles procuraram ressuscitar Drácula para que ele pudesse limpar o mundo. Ele foi trazido de volta em 1576 e como seus poderes estavam ligados ao seu castelo, sua fortaleza voltou com ele.

Fortalecido de seu sono, o conde retomou sua busca por vingança contra a humanidade e começou a atacar a Transilvânia com suas hordas. Mais uma vez, os únicos que podiam esperar resistir a ele e sua multidão de seguidores eram o Clã Belmont com seu chicote sagrado, Vampire Killer. Castlevania foi invadida por Christopher Belmont e logo o caçador de vampiros e Drácula estavam travando um duelo mortal. Christopher pensou ter enviado o conde ao túmulo, mas Drácula se transformou em névoa e fingiu a sua morte. Embora seu castelo tenha sido destruído e ele estivesse muito enfraquecido pela batalha para assumir sua forma normal, Drácula iria esperar o momento certo para atacar o Clã Belmont que lhe causou tantos problemas.

Drácula ressurgiu quinze anos depois em 1591, influenciando magicamente o filho de Christopher, Soleiyu Belmont, enquanto ainda estava preso na forma de névoa. Ele planejou usar o Belmont para se tornar inteiro e lançou uma maldição sobre o jovem caçador de vampiros que faria com que Soleiyu cumprisse suas ordens. Christopher Belmont veio em auxílio de seu filho e foi forçado a batalhar com ele. Christopher derrotou Soleiyu e expulsou a presença de Drácula de sua mente. Naquela época, usando os espíritos de quatro castelos elementais, Drácula recuperou sua forma corpórea e lutou contra Christopher Belmont pela última vez. Christopher foi vitorioso e destruiu Drácula, enviando o vampiro para dormir por mais cem anos.

1691-1698 Selando a Maldição[]

Drácula ressuscitou em 1691 em uma noite de Páscoa quando seus seguidores se reuniram em um mosteiro para realizar o ritual profano de trazer ele e seu castelo ao mundo e mergulhar a humanidade na escuridão e no desespero. Drácula foi derrotado por Simon Belmont, mas não sem dar um golpe crítico nas costas de Simon e lançar uma maldição sobre ele. Semelhante a quando foi derrotado por Trevor Belmont em 1476, Drácula deixou uma maldição na terra antes de sua morte.

Embora Drácula estivesse morto, ele deixou a Transilvânia e Simon Belmont em condições terríveis. A única maneira de expulsar sua maldição era coletar seus restos mortais e destruí-los dentro das ruínas de Castlevania. Os monstruosos seguidores de Drácula reinaram livremente sobre muitos territórios na terra enquanto a Transilvânia foi amaldiçoada e eles esconderam os restos mortais do Conde em mansões fortemente protegidas. O enfraquecido Simon Belmont recuperou todos os restos mortais em 1698 e os levou de volta para o Castelo de Drácula, onde queimou os restos que havia recuperado. Para a surpresa de Simon, no entanto, o fantasma de Drácula se manifestou através da Presa de Vlad, um permanecer desconhecido para Simon e tentou destruí-lo, mas Simon derrotou Drácula novamente, retirando a maldição da terra e de seu próprio corpo.

Harmony of Dissonance[]

Os restos de causariam estragos no mundo novamente quando um jovem caçador de vampiros chamado Maxim Kischine procurou os restos de Drácula como forma de provar-se como um caçador. Ele tinha inveja do status do Clã Belmont e queria confirmar que ele era mais forte do que eles, encontrando os restos de Lord . Como Simon Belmont, cinquenta anos antes, Maxim recuperou todos os pedaços dos restos em 1748, mas a posse das partes do corpo de fez com que a mente de Maxim se separasse em dois, criando um espírito maligno dentro de Maxim.

Os restos de causariam estragos no mundo novamente quando um jovem caçador de vampiros chamado Maxim Kischine procurou os restos de Drácula como forma de provar-se como um caçador. Ele tinha inveja do status do Clã Belmont e queria confirmar que ele era mais forte do que eles, encontrando os restos de Lord . Como Simon Belmont, cinquenta anos antes, Maxim recuperou todos os pedaços dos restos em 1748, mas a posse das partes do corpo de fez com que a mente de Maxim se separasse em dois, criando um espírito maligno dentro de Maxim.

A morte viu Lydie Erlanger, uma jovem donzela que Maxim cuidou, como um meio para isso. Se o Máxo Maxim participasse do sangue da donzela, seu sacrifício lhe proporcionaria a força que ele precisava para superar a Maxim constante. O esquema da morte foi frustrado por Juste Belmont, o neto de Simon Belmont, que exorcizava o espírito maligno de Maxim reunindo e apresentando os restos de . O espírito foi atraído para os restos e abandonou o poder do corpo de Maxim, materializando-se como o fantasma de . Justo derrotou o fantasma, que zombou da busca do clã Belmont como inútil, porque sempre retornaria, e eles estavam condenados a caçá-lo por toda a eternidade.

The X Chronicles, Rondo of Blood e Symphony of night[]

Reviveu em 1792, cem anos após sua derrota por Simon Belmont. Ele foi trazido de volta pelo zeloso sacerdote negro Shaft e sua congregação, que sacrificou uma donzela para ressuscitar o conde e seu castelo. Quando voltou, ele despachou suas forças para saquear a terra. Eles seqüestraram mulheres jovens de uma aldeia, sendo Annette, namorada de Richter Belmont.

O Conde sentiu a conexão que ela teve com seus inimigos mortais, e, além disso, foi levado com sua beleza. Ele ofereceu sua imortalidade para que ela pudesse governar o mundo ao seu lado, mas ela o recusou, dizendo que preferia morrer.

Richter acabou por resgatar todas as donzelas das garras de , matou Shaft e derrotou o Conde. Nesse momento, Drácula se divertiu com o ciclo sem fim que compartilhou com os Belmonts. Ele sabia que ele retornaria, então ele não ficou consternado com sua derrota. Richter Belmont disse que não tinha lugar no mundo, mas disse que não é sua escolha que ele continue retornando. Ele volta pela vontade dos humanos que o invocam. Por isso, perguntou a Richter se ele realmente poderia ser chamado de mal. Quando ele estava se desintegrando, ele riu de Richter com total confiança de que ele retornaria, e que a caça de Belmont era vaidosa.

Apesar de derrotado, voltou cinco anos depois em 1797, devido aos esforços do fantasma de Shaft. Desta vez, foi seu filho, Alucard, que o confrontou. ficou um pouco chocado ao ver o filho novamente e tentou desesperadamente convencê-lo a ver as coisas do seu ponto de vista. Ele estava chateado com Alucard constantemente com os humanos, apesar de tudo o que tinham feito. Ele perguntou a Alucard se ele havia esquecido o que os humanos fizeram com sua mãe, Lisa. Alucard disse que nunca esqueceria tal atrocidade, mas ao contrário de Drácula, ele não se vingou contra eles, porque não era isso que a mãe queria.

Alucard disse a Drácula que ele não podia permitir que ele estufasse a humanidade novamente, e os dois membros da família derrubaram. Como a ressurreição de não estava completa, ele foi derrotado por seu filho. No final da batalha, colocou tudo de lado e só queria que Alucard lhe dissesse as últimas palavras de Lisa. Alucard disse a seu pai que ela dizia não odiar humanos. Que, se ele não pudesse viver com eles, então, pelo menos, não prejudiquem. Ela também contou a Alucard para dizer ao pai que o amaria por toda a eternidade. Pela primeira vez em centenas de anos, estava arrependido pelo que tinha feito. Ele gritou para Lisa para perdoá-lo por suas transgressões, e despediu-se de seu filho quando ele desapareceu na morte.

Castlevania: Order of Ecclesia[]

Depois de 1797, em que o clã Belmont desapareceu, e outras organizações surgiram com a esperança de conter Drácula e suas forças no lugar de Belmonts. O grupo mais bem-sucedido foi Ecclesia, devido a Barlowe, líder da Ecclesia, fazendo uma descoberta inovadora com a criação de Glyphs, símbolos que utilizaram o poder em todas as coisas, que os membros da Ecclesia conseguiram usar em combate.


Por causa do sucesso de Ecclesia, aqueles em cargos de poder confiaram à organização os restos corporais de Drácula para que eles possam destruir os restos e, espero, acabar com o flagelo do Conde para o bem. Barlowe desenvolveu o glifo final, Dominus, dos restos do Conde . Barlowe usou a história de capa que Dominus usaria para destruir o Senhor das Trevas, mas, na verdade, o verdadeiro propósito de Ecclesia era cumprir o desejo da humanidade, que na mente de Barlowe era a ressurreição do Conde Drácula. O plano de Barlowe era usar Dominus para destruir o selo nos restos que impediam o ressurgimento de no mundo. Barlowe precisava de alguém para hospedar os Dominly Glyphs, e ele escolheu seu discípulo, Shanoa, que não sabia da verdadeira intenção da Ecclesia, e que usar Dominus acabaria com sua vida. Shanoa descobriu a verdade e derrotou Barlowe. Os restos de levaram grandes quantidades de energia escura a Barlowe, que ele conseguiu usar para ressuscitar ao custo de sua própria vida. Depois que Barlowe sacrificou sua força vital aos restos corporais, o Senhor das Trevas e seu castelo voltaram novamente.

Shanoa infiltrou Castlevania e dirigiu-se ao Salão do Trono, onde governou seu castelo e seus assuntos. Inicialmente, pensou que Shanoa era o que o trouxe de volta e perguntou se desejava a vida eterna ou um lugar ao seu lado em troca de seu serviço. Shanoa disse ao conde que, de fato, ela havia ido para destruí-lo. ficou divertida com a resposta dela e deu as boas-vindas a seu desafio, dizendo-lhe que não havia dançado há algum tempo. O próprio poder de Shanoa não foi suficiente para destruir , mas quando usou os Dominly Glyphs que ela estava hospedando, para a surpresa do Conde; ela conseguiu derrotar com seu próprio poder, enviando-o para a morte dele.

Guerras mundias[]

Ressuscitaria algum tempo depois por meios desconhecidos antes dos acontecimentos do de Bram Stoker, durante o qual ele viajaria para Londres e entraria em conflito com Abraham Van Helsing, apenas para ser morto por Quincy Morris em 1897.

O filho de Quincy, John Morris, enfrentou durante a Primeira Guerra Mundial, ao lado de Eric Lecarde, quando ressuscitou através dos esforços de sua sobrinha Elizabeth Bartley e sua cúmplice Drolta Tzuentes. Elizabeth teve o príncipe herdeiro da Áustria assassinado, o que resultou em guerra em todo o mundo. Ela planejava usar as almas dos milhões que morreram como resultado da Grande Guerra para reviver seu tio. O rito de ressurreição levou as duas mulheres em toda a Europa, e foram perseguidos a cada passo por dois caçadores de vampiros - John Morris, filho de Quincy Morris, que carregava o Assassino de vampiros do clã de Belmont, e Eric Lecarde, um espanhol de vingança cujo A namorada foi vampirizada por Elizabeth. A caçada chegou à cabeça no castelo de Elisabeth, na Inglaterra, onde ela e Drolta conseguiram ressuscitar . O despertar do Lord das Trevas foi de curta duração, no entanto, como John e Eric escalaram o castelo e mataram Elizabeth, Drolta e . Embora tenha sido morto, John também pagou o preço final e morreu por sua dependência do Vampire Killer. Como ele não era do Clã Belmont, usar o chicote demais veio ao custo de sua vida.

Em 1944, foi revivido novamente pelo vampiro Brauner e, como resultado do desespero sem precedentes, o mundo estava durante a Segunda Guerra Mundial. Brauner, tendo perdido suas filhas na Primeira Guerra Mundial, buscou vingança na humanidade e planejou usar o poder de como meio para isso. Brauner imediatamente separou , pois ele só desejava o poder de Castlevania e legiões de monstros, e não tinha intenção de servir o Conde .

Brauner usou pinturas que ele fez que foram inundadas com magia para garantir seu controle sobre o castelo. Jonathan Morris, filho de John Morris e o guardião do Vampire Killer, e seu parceiro, um mago chamado Charlotte Aulin, foram enviados pela Igreja para investigar o castelo e a possível ressurreição do Conde . Através do entendimento de Charlotte sobre a composição mágica das pinturas, a dupla conseguiu entrar nas pinturas e destruir o mal dentro deles, enfraquecendo assim o assento de Brauner no castelo. Jonathan e Charlotte derrotaram Brauner, mas o vampiro foi finalmente morto pela morte. A morte de Brauner abandonou o selo que ele usou para evitar que voltasse, e com ele, o Conde ressuscitou novamente para assumir o senhorio de seu castelo. Jonathan agora tinha o poder de destruir , e assim como ele lhe trouxera os joelhos, os primeiros raios do senhor vampíaco.

Demon Castle Wars[]

A ressurreição final de ocorreu em 1999, quando ele subiu uma última vez, e começou uma campanha viciosa para destruir toda a humanidade. Ele foi derrotado por Julius Belmont, um sacerdote Hakuba, Alucard e Belnades, e seus destroços corporais foram destruídos. Além disso, foi realizada uma cerimônia em que seus poderes e castelo foram selados dentro de um eclipse solar, terminando assim o ciclo de regeneração. Embora o ciclo de Mathias Cronqvist possa ter finalmente terminado, o legado de continuou, como ele foi reencarnado como Soma

Galeria[]

Advertisement